PUB
mascote
PUB


16 março, 2015 Amante de zoofilia confessa-se...

Revelações surpreendentes de quem pratica sexo com animais sem culpas...

Um amante de zoofilia confessa-se e fala da sua experiência enquanto zoófilo. Este fã do sexo com animais abre a alma, numa entrevista sem pudores, e conta tudo...

Amante de zoofilia confessa-se...

Michael é um dinamarquês de 29 anos que pratica sexo com animais desde a adolescência, influencido pela vida no campo e pela contínua observação de actos sexuais entre os seres de quatro patas da quinta. Protegido sob o anonimato, este zoófilo fala da sua experiência em entrevista à revista Vice norte-americana que aqui transcrevemos, na tradução em português.

[Sobre quando começou a fazer sexo com animais]

"Comecei quando tinha 14-15 anos. Cresci no campo, por isso via, muitas vezes, os animais a acasalarem e isso deixou-me curioso."

[Sobre a primeira experiência sexual com um animal]

"Tinha falado com uma amiga sobre sexo com animais e ela ficou curiosa. Ela tinha um cão e um dia deixou o cão fodê-la. No dia seguinte, ela contou-me e fomos para a casa dela e eu fiquei a ver. E, mais tarde, tentei também. O cão parecia interessado em mim, por isso deixei-o foder-me."

[O que o excita no sexo com animais]

"Eles são mais honestos e, bem, mais animais. Se um cão gosta de ti, não há dúvidas sobre isso. Contrariamente ao que a maioria das pessoas pensa, um animal pode, facilmente, dizer não, se não quiser ter sexo contigo. São essencialmente os cães que me excitam, os cavalos também, um pouco. A maioria das minhas experiências foi com cães, mas também acariciei uma égua, uma vez."

[Quantas vezes pratica sexo com animais]

Provavelmente, duas ou três vezes por mês. Às vezes mais, às vezes menos. Tenho um grande e maravilhoso cão macho com a minha esposa. Mas depende.

[Sobre a esposa e o cão]

Depois de ela saber mais sobre o assunto, também está interessada ela própria. Ela também tem sexo com cão, de vez em quando.

[Sobre se há sentimentos envolvidos ou é se só sexo]

Bem, dentro desta cultura, nós diferenciamos zoos [de zoofilia] de bestas. Os Zoos amam os seus animais, não da mesma forma que amo a minha mulher, mas amam-nos de qualquer modo. Os bestas forçam-se nos animais, são eles que dão um mau nome ao sexo com animais. Eu sou um zoo. Provavelmente, 95% das pessoas que têm sexo com animais fazem-no por mais do que apenas o sexo.

[Como é que se desenvolve o sexo com o seu cão]

Foi ele que começou, quando era mais novo. Eu estava a tirar um DVD da máquina e foi só o que ele precisou. Foi quando me tomou pela primeira vez. Mais tarde, aprendeu quando pode ser e quando não pode ser, julgando a minha linguagem corporal e a da minha mulher.

O sexo é assim: eu estou nu e de gatas, apoiado sobre os quatro membros. Se ele quer, salta para cima de mim e toma-me. Se não quer, vai buscar um brinquedo, eu visto-me de novo e vamos para o jardim, brincar um com o outro, normalmente.

[Sobre os riscos de contrair doenças sexualmente transmissíveis]

Há [esse risco de contrair DST´s]. Essa é uma das razões porque eu não empresto o meu cão a outras pessoas. Além disso, ia parecer errado, ele é parte da família.

Mas o sexo que eu e a minha mulher temos com ele é desprotegido. Há muita coisas nos preservativos que é pouco saudável para o cão, por isso é preciso ser mesmo cuidadoso.

Gina Maria

Gina Maria

Moça católica e de boas famílias, apaixonada por secretas fantasias, eternamente interessada em mais, mais, mais...

blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis