PUB
mascote
PUB


14 dezembro, 2017 Reencontro na praia...

Há tantos anos que não te via, há tantos quantos os que tinha acabado o liceu.

Há algum tempo que não ia para aqueles lados, cresci numa zona e no final do liceu mudei de cidade. Ocorreu-me ir dar um passeio de fim de semana para aquela zona...

Reencontro na praia...

Passaram-se alguns anos, e algumas coisas mudaram, os nossos olhos anos depois também vêm as coisas de forma diferente, mas também revivemos as coisas que vivemos em tempos por ali.

A emoção faz-nos recordar eventos e circunstancias que vivemos na altura. Lembramos perfeitamente como foi açambarcador quando o alvo da nossa atração nos fez chegar um bilhete a dizer isso mesmo.

Há emoções que são priceless, e podemos vir a sentir sentimentos do género mas nunca com a intensidade da adolescência.
Quando crescemos normalmente lamentamos pouco o que fizemos, aquilo que realmente lamentamos são as coisas que não vivemos, ou que nos impedimos de viver, por receios, medos, vergonha…
E depois lamentamos, porque aquele momento não volta mais, a vontade temos, mas cada momento é irrepetível.

Depois do passeio, fui dar uma volta à praia, era um dia de outono, o dia até estava quente e agradável. É uma praia que tem sempre pessoal a fazer surf, dei um passeio na praia, senti o calor do sol na pele e aquela aragem do mar que nos faz viajar os pensamentos.

Sentei-me na areia a olhar para o mar, estavam alguns surfistas na água, iam chegando uns, saiam outros. Eu estava a olhar mas não via, estava num estado de quase meditação, quando sais da água.
De prancha debaixo do braço, pousas a prancha a uns metros de mim, e desapertas o fato, estás a fazer alguns alongamentos quando me olhas, confesso que não te reconheci imediatamente. Há tantos anos que não te via, há tantos quantos os que tinha acabado o liceu.

Encenas o teu melhor sorriso, e chamas-me pelo nome, olho com mais atenção, tínhamos sido da mesma turma, há tantos anos atrás, aproximas-te e realmente envelheceste bem, ao que recordo sempre tiveste uma cara linda, mas eras assim para o gordinho, e agora via-se a marca dos anos na tua face mas tudo no sitio certo, e um sorriso tão puro e genuíno que me fazia viajar para anos atrás.

Ficamos um bocado a conversar, também já não moravas por ali, mas às vezes ainda fazias umas escapadinhas de fim de semana para surfar. Afinal as ondas daquele spot eram mesmo especiais.

Tanta conversa para por em dia, a hora já tinha mudado e escurecia cedo, não faltava mais do que um par de horas para o sol se pôr. Convidaste-me para um petisco ali perto. Estavas genuinamente feliz por me ter encontrado e eu também.

Puseste a prancha no teu carro e mudaste de roupa sentado no porta-bagagens numa ginástica tão rápida, que vi logo que estavas habituado a faze-lo.
Decidimos deixar ali o meu carro e fomos no teu até uma tasca de petiscos que ficava alguns quilómetros à frente. Era um estabelecimento envidraçado com vista para o mar.
Pedimos umas amêijoas, uma sapateira e um vinho verde bem fresquinho.

A conversa fluía, tantos anos, havia muito assunto para por em dia. Rimos tanto, também a determinada altura as lágrimas assomaram, a cumplicidade era tanta que as horas foram passando, a ligação que senti era como se não tivéssemos juntos desde o mês passado.

A determinada altura dou por ti a olhar para mim de uma forma tão intensa que senti como se me visses além de mim, além daquilo que é visível para o comum dos mortais.
Certo é que aliada a essa sensação, senti-me a ser despida na tua cabeça e isso arrepiou-me toda, depois de entrares fundo nos meus olhos, os teus olhos desceram e o simples fato de incidirem nos meus lábios fizeram-me passar a língua por eles para os humedecer, à medida que desciam senti-me arrepiar, estava sem soutien e os meus mamilos duros e arrepiados ficaram percetíveis através da camisola.

Sem mais, nem pedimos a conta, fizeste rapidamente algumas contas de cabeça e deixaste dinheiro mais que suficiente em cima da mesa. Agarras na minha mão e saímos dali.

Entramos no carro, nesta zona há vários caminhos que vão dar a várias praias diferentes, quase todas tem uma arriba, mas estacionados cá em cima vemos bem o mar. Ligas o rádio, e a voz da Diana Ross espraia-se pelo carro, Upside down... E sinceramente o que eu sentia neste momento era como se estivesse verdadeiramente upside down.

I said upside down
You're turning me
You're giving love instinctively
Around and round you're turning me

Entraste por um caminho que vai dar a uma praia mais recôndita, nesta altura do ano, não se via carro nenhum, nem vivalma se via, que a pé também ninguém ali vai.

Enquanto conduzes pelo caminho de terra batida devagar, o caminho era imensamente esburacado, vais olhando para mim, e a tua mão enquanto vai metendo a segunda e a terceira, pousa no meu joelho. Olhas-me e sorrio-te, dando-te o aval que precisavas para continuar o caminho, também eu estou excitada e a minha mão já acaricia a tua perna, mas bem mais acima, sinto-te e percebo pela tua respiração e pela cadência das tuas palavras que estamos prestes a passar à ação.

Estacionas de frente para o mar, na parte de cima da arriba. Tudo deserto e prestes a dar-se o por do sol. Adoro esta luz de final de tarde, esta luminosidade que torna tudo muito mais fantástico até porque em breve iremos deixar de ver.
Assim que estacionas inclinas-te para mim, acaricias-me a face e beijas-me ao mesmo tempo que me despes! Adorei esta iniciativa logo tão direta, para quê rodeios quando já sabemos o que queremos e para onde vamos.

Upside down
Boy, you turn me
Inside out
And round and round
Upside down
Boy, you turn me
Inside out
And round and round

O teu beijo tomou-me totalmente, existem aqueles beijos que se sentem por todo o corpo, este além de salgado, teve uma ligação direta com o interior das minhas coxas, foi como se um formigueiro selvagem e doido andasse esquizofrénico por aliOMG!
Sentia a cabeça à roda, depois de me tirares a camisola, baixas as copas do meu soutien e levas-me literalmente ao delírio com as brincadeiras que fazes, lambes-me lentamente e ao redor dos mamilos, chupa-los enquanto me olhas nos olhos e me fazes sentir a gaja mais sexy à face da terra e mordisca-los enquanto usas os dedos para roçar por cima das minhas cuecas. 

Instinctively you give to me
The love that I need
I cherish the moments with you
Respectfully I say to thee
I'm aware that you're cheating
When no one makes me feel like you do 

Contorço-me de prazer, e tu estás a gostar disso, deixaste-me completamente louca, mas louco também tu estás a ficar. Endireito-me e tiro-te a camisola, acaricio-te o peito enquanto te beijo, a tua respiração entrecortada faz-me sentir poderosa, também estás rendido e num estado de excitação louca.
Ajudas-me a puxar as tuas calças para baixo, recostas-te no banco e eu abocanho-te a pila com satisfação, lambo-a desde a base até à ponta, meto-a na boca e chupo, vou até ao mais fundo que consigo, enquanto agarro a base com uma mão, acaricio-te as bolas, a minha língua gira e contorna a ponta e volto a mete-la na boca, até implorares para eu parar. Pelo canto do olho vejo a tua cara e os teus olhos estão vidrados de tanto prazer.
Tiramos o resto da roupa e trepo para cima de ti, afastas o banco o mais que podes para trás e monto-te! A minha boca fica ao nível dos teus olhos, agarras-me as nádegas e enterras-te dentro de mim devagar e profundamente… Que sensação tão boa, sinto-me quase perto do céu…

Upside down
Boy, you turn me
Inside out
And round and round
Upside down
Boy, you turn me
Inside out
And round and round

Os nossos corpos estão colados, tu comandas os movimentos com as tuas mãos nas minhas nádegas, eu mal me consigo mover, sinto o teu corpo macio e quente contra o meu, o meu peito está apertado e excitado contra o teu.
Os movimentos aumentam de intensidade e perco a força nas pernas por momentos, ficamos parados a sentir os espasmos de prazer do nosso sexo.

I know you got charm and appeal
You always play the field
I'm crazy to think you all mine
As long as the sun continues to shine
There's a place in my heart for you
That's the bottomline

Volto para o meu banco, acalmo a respiração, vejo-te a olhar para mim, sorris e semicerras os olhos. Apetece-me provocar-te.
Abro as minhas pernas, estico a direita e ponho o pé esquerdo no banco para que tenhas uma perspetiva privilegiada de onde te encontras. E toco-me, assim semi-aberta roço o meu indicador no meu clit, até que o vês ali excitado e saliente.
Claro que também queres sentir, roças a tua mão na minha pussy e dás pequenos toques no meu clit até eu implorar que entres dentro de mim. Ponho-me de gatas no teu banco, com os pés virados para fora do carro, estás fora do carro de pé e entras em mim até ao fundo por trás. Agarras-me pela cintura, e de uma forma louca, insana e de uma tesão sem limites, moves-te dentro de mim em movimentos bruscos, sinto-te crescer dentro de mim, e aperto-te ao máximo dentro de mim, até ficarmos ambos extasiados. Olho para ti e ambos olhamos para o mar, o sol acabou de se pôr.

 Upside down or downside up… It was fucking awesome

Miss Fantasy

Miss Fantasy

Mulher com uma imaginação delirante e muitas fantasias secretas por realizar.
Acredita que Deus nos deu o corpo para ter prazer e que cada vez que atingimos o orgasmo, o Nirvana, a plenitude, estamos mais perto de Deus.

  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis