PUB
mascote
Banner Favoritos
PUB


18 junho, 2018 Escapadela

Após uns orgasmos estrondosos, onde eu já nem sabia onde me agarrar, ele pega-me nas ancas e roda-me na cama...

Naquele fim-de-semana tínhamos fugido da rotina da semana. Queríamos algo diferente e se seria diferente! Nem ele sabia onde se ia meter...

Escapadela

Estou casada com o Frederico faz dois anos mas antes de dizer o “sim” namorámos durante cinco anos.

Há umas semanas para cá que tanto eu como o Frederico andamos atulhados em trabalhos e reuniões. O tempo livre que temos é utilizado para adiantar trabalho ou então para dormirmos um pouco.

Estou a ficar um pouco desesperada pois parece que estamos mais focados nas nossas carreiras do que na nossa relação. Por pensar dessa maneira refleti sobre o assunto e então surgiu-me a ideia de organizar uma escapadela para fugirmos desta vida agitada da cidade. Precisamos, necessitamos descontrair... Preciso sentir o meu homem novamente.

Encontrei o sítio perfeito para irmos.

No sábado de manhã metemo-nos à estrada, a caminho da nossa esperada escapadinha.

Ao chegarmos ao hotel pedi-lhe que me deixasse subir sozinha e sugeri que ele fosse até ao bar e que aguardasse por uma mensagem minha. Ele acenou-me e encaminhou-se para o bar do hotel.

Quando cheguei ao quarto tirei todas as peças de roupas que cobriam o meu corpo. Após um breve compasso de espera, enviei-lhe a sms que ele aguardava: “Suba querido!”.

Fui para a casa de banho e aguardei que ele chegasse.
Oiço-o abrir a porta do quarto. Ao sentir que ele começa a caminhar pelo quarto abro calmamente a porta. De uma forma sedutora mostro-lhe apenas uma perna e depois estendo a mão que segurava um vibrador e umas algemas.
- Uau! - disse ao ver o que tinha na minha mão – Onde arranjou você tais apetrechos? - continuou, com um ar espantado.

Depois de o ouvir, ele nem me deu tempo de falar ou de aparecer à sua frente, pois num abrir e fechar de olhos a minha perna é agarrada. Ele surge do nada à minha frente e os seus olhos imediatamente percorrem o meu corpo. Não tenho tempo para proferir seja que palavra seja, pois o Frederico já tem a sua língua enrolada na minha. Beija-me desinsofridamente.

Encosta-me à parede. As suas mãos começam a percorrer todo o meu corpo. Lambuza-me cada um dos meus mamilos, alternadamente. Ficam duros a cada lambidela que levam. Endurecem a cada torcidela e mordiscadela que levam. As suas mãos continuam a vaguear ao longo do meu peito sem qualquer domínio. Ele beija-me o pescoço e depois ombros. Os nossos corpos ardem de desejo. Consigo sentir o seu pénis endurecido a pressionar-me a perna. Enlouquecido pega-me ao colo e leva-me para a cama.

Coloca-se por cima de mim e fixa aqueles seu enormes olhos azuis no meu corpo. As suas mãos começam, agora numa forma ordeira, a percorrer lentamente o meu corpo. O seu toque causa-me arrepios. Os meus mamilos começam a enrijecer novamente. Ele começa a descer o seu corpo ao longo do meu e só se detém quando se encontra entre as minhas pernas. A sua língua percorre as minhas pernas numa forma sedutora e ao ir devagar, mas tão devagar, que dá origem a um arrepio que culminou apenas ao sentir a sua língua sob o meu clitóris. Aquela língua deambulava ao longo do meu sexo, deixando-me cada vez mais enlouquecida. Ele deliciou-se comigo. Com o meu corpo. Fui uma boneca nas suas mãos.

Após uns orgasmos estrondosos, onde eu já nem sabia onde me agarrar, ele pega-me nas ancas e roda-me na cama. Fico com o rabo bem encostado à sua cara... e ele recomeça.

O meu corpo está tão quente... Sinto que se aproxima outro orgasmo. O Frederico ao aperceber-se disso diminui a intensidade das suas investidas. Ofego. Ele introduz um dedo calmamente e depois outro.
- Deixa-me lá estrear isto... - diz, mas eu não faço ideia ao que é que ele se está a referir.

Novamente, não tenho tempo para dizer nem muito menos para raciocinar qualquer palavra que seja pois ele já introduziu o vibrador no meu sexo. Enquanto ele se divertiu a torturar-me com aquele maldito vibrador, a sua língua estimulava o meu ânus. Outro orgasmo sub-real!

Não tenho tempo para recuperar o meu fôlego pois o Frederico tem as suas duas mãos agarradas às minhas ancas e começa agora a friccionar o seu pénis rijo junto das minhas nádegas.
Como eu adoro sentir a sua proeminência contra mim! Sentir a sua fome, a sua urgência por me comer, por me tomar.

Começa por roçar a ponta do pénis no meu clitóris e pouco depois coloca um, depois dois dedos, dentro de mim. Estou cada vez mais ansiosa por tê-lo dentro de mim. Quero senti-lo.

Antes de se enterrar finalmente em mim, torturou-me mais um pouco ao deambular com o seu pénis perto do meu sexo. Sinto o meio das minhas pernas húmidas, escorregadias.
Penetra-me. Penetra-me como há meses não o fazia. Como senti saudades dele, do seu corpo, do seu bruto mastro.

Ele devorou-me. Devorou-me como se fosse outra vez a nossa noite de núpcias. Rodou-me naquela cama de hotel vezes e vezes sem conta. Quando já não conseguia mais ordenou-me que me colocasse por cima dele, que o montasse, que o fodesse. Fiz o que o meu marido me pediu, sem hesitar. Fiquei sem fôlego. Foi mesmo uma noite daquelas!

O roteiro que eu tinha pensado fazer com ele ao longo daqueles dias foi por água abaixo, pois aquela cama foi o nosso ninho durante todo o fim-de-semana.

Nós estávamos mesmo a precisar desta escapadinha para descontrair um pouco e darmos um pouco de atenção um ao outro, pois devido à azáfama da nossa rotina fomo-nos afastando e como François Mauriac afirmou:

"Se a chama que está dentro de ti se apagar, as almas que estão ao teu lado morrerão de frio."

Toma atenção aos pequenos detalhes, senão quando deres conta já é tarde de mais.

Alexa

Alexa

Uma mulher com imaginação para dar e vender.
Sempre gostei de escrever, mas coisas eróticas... isso gosto mais. Levar um homem à loucura através de palavras e da sua própria imaginação. Como adoro...

blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis