PUB
mascote
PUB


31 maio, 2018 Eu e a Diva

Esta semana trago-vos um conto sobre uma experiência que tive há cerca de um ano com uma travesti!

Olá caros leitores!!! Agradeço imenso os e-mails que tenho recebido sobre os meus textos, é bom saber que já tenho pessoas que seguem os meus textos, fico contente. Tirando algumas dúvidas, porque não consigo responder a todos os e-mails, os meus textos alguns são de experiências próprias na primeira pessoa, outros são de histórias que ao longo das minhas amizades tenho ouvido e que esses amigos querem mesmo que eu as escreva.

Eu e a Diva

Esta semana trago-vos um conto sobre uma experiência que tive há cerca de um ano com uma travesti!
Espero que gostem...

 

***

Há cerca de um ano, aluguei um quarto numa casa mista. Para trabalhar como acompanhante.

Nessa casa, conheci muitas pessoas, entre elas a travesti que hoje vos vou apresentar, nome fictício de Diva.

Porquê Diva? Muitas travesti, que conheci e vou conhecendo neste mundo, são realmente umas divas, dignas desse nome e esta não foi excepção.

Numa dessas noite chatas em que esperamos clientes, ela convidou-me para ficar na conversa no seu quarto, o quarto dela era ao lado do meu, eu, como não estava a atender, claro que fui!

A Diva é uma cavalona de 1,80m, bem mamalhuda, com um rabo enorme e o pau... posso-vos dizer que naqueles shorts saía parra fora... mesmo murcho. Que diva!

 - "Vera, você tem medo da minha presença?"

- "Não linda. Porquê?"

- "Eu estou falando com você e você está-me olhando de um jeito..."

- "Ainda estou a aprender a conviver contigo..."

Sempre de sorriso rasgado, e cada vez que falava a mão dela ou estava no meu ombro, na minha perna ou na minha mão...

Ai...

A conversa começou sobre o Brasil e acabamos a falar sobre como é difícil ser Travesti.

Contou-me a sua vida, e as suas hormonas começaram a reagir e a emoção a cair...

"Não chores, sorri, és linda, sabes o que vales."

Agarrou no meu rosto e começamos a beijar-nos, não percebi se foi da emoção, mas que foi repentino e bom...

Beijos bem longos, com umas mãos bem grandes, apalpou-me as mamas... Eu fiquei sem reação... Mas estava tão curiosa que tinha de descobrir como é que eram os peitos dela... Perfeitos!!!

Suaves ao tacto, tesudos... Morenos...

No seu colo, por baixo daqueles shorts já sentia um bom pau, bem tesudo naquela linha de bikini.

Um pau de 23 cm, bem grande e bem grosso, não cabia todo na minha boca, mas foi aí que aprendi a fazer, devagarinho, garganta funda, uma mão naqueles peitos, a mão dela a segurar no meu cabelo e a foder-me a boca toda...

Gemidos de mulher, sexo de homem... o que uma bi como eu pode pedir mais?

"Vem sentar na minha cara."

Despiu-me o vestidinho que tinha, eu toda molhada, começou a chupar-me a cona e a enfiar aqueles dedos enormes... E eu completamente encharcada...

Em posição de cow girl, comecei a enfiá-lo devagarinho para conseguir aguentar com aquele pau enorme, deixou-me completamente aberta e encharcada...

Foi a única vez que deixei ser dominada por alguém...

"Vamos mudar."

De quatro de ab empinado para ela, enfia-me o pau grande e grosso com bastante força, agarra-me nas ancas e fode-me bem até me vir naquele pau enorme....

Agarra no meu rabo e começa a esfregar o pau bem molhado nele e enche-me o rabo e as costas com leite bem espesso e abundante.

Depois de se vir ainda se manteve teso, ainda lhe dei umas boas chupadelas.

Por fim. fomos a um banho relaxante no jacuzzi que tinha no terraço.

E mais beijos surgiram...

blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis