PUB
mascote
PUB


09 julho, 2018 Uma noite daquelas!

Delicio-me com o seu longo mastro. O seu sabor é demais.

Os últimos tempos tenho sido atiçada pelo meu namorado com rapidinhas. Não temos tempo para mais. Mas eu já não aguento mais!!

Uma noite daquelas!

Terça-feira à noite. Uma noite perfeita de inverno.

Acabo de receber uma mensagem do meu namorado a dizer que chegou a casa e que se encontra sozinho. A mãe chegará mais tarde do trabalho. “Perfeito!”, penso.

Tomo um banho rápido e desloco-me até à sua casa.
Ao chegar não lhe envio mensagem como normal a avisá-lo da minha chegada, em vez disso fui direta à sua porta, aproveitei o facto de ter uma cópia da sua chave e abri a porta do prédio. Batia à sua porta.

Ao abrir-me a porta jogo-me nos seus braços e beijo-o com desejo, nem lhe dou tempo de olhar para mim. Fecho a porta sem nunca deixar os seus lábios. Encosto-o à parede e apenas nesse momento mostro-lhe como estava vestida: por debaixo daquela gabardine apenas estavam vestidas umas meias de liga e calcei uns sapatos de salto alto negros.
- Uau!.. – disse.

Continuei o meu ataque. Entre beijos seguimos até ao quarto. Quando lá chegamos sentei-o na cama e comecei lentamente a despir-lhe a camisa, depois o cinto e por fim o botão das calças. Liberto o seu pénis dos boxers. Já se encontrava endurecido. Sem demoras coloco-o dentro da minha boca. Calmamente percorro o seu pénis com a minha língua. Delicio-me com o seu longo mastro. O seu sabor é demais.
- Não me quero vir na tua boca... - disse-me.

Acedi ao seu pedido. Comecei por diminuir a intensidade dos movimentos até que o retirei da minha boca, com a ponta da língua a percorrer, lentamente, o seu comprimento.

Saio do meio das suas pernas e coloco-me em cima dele. Beijo-o no pescoço e depois o lóbulo da sua orelha direta. Ele ofega. Ainda beijando o seu pescoço, sem demoras, a minha mão percorre o seu torço ate chegar ao seu pénis. Coloco-o dentro de mim, devagar. Tenho que o sentir… cada centímetro.

Estava ansiosa por tê-lo dentro de mim. Passei o dia todo a ansiar por este momento, pois na noite anterior, ele tinha-me deixado com uma fome abismal.

Começo por fazer investidas lentas e depois mais ritmadas e intensas. Pego nas suas mãos e faço com que elas percorram o meu corpo a começarem nos meus seios onde o incentivo a apertar-me os mamilos, depois continuo a descer até que repouso as suas mãos nas minhas nádegas. Quero que as aperte enquanto faço investidas mais intensas e rápidas. Estou a sentir calor, cada vez mais calor.

As minhas mãos percorrem o seu tronco e quando sinto que estou prestes a atingir o clímax aperto-lhe os mamilos que estão tão tesos quanto os meus que estão a ser apertados e torcidos pelos seus dedos. Ao atingir o clímax, o corpo é de tal forma arrebatado pelo prazer que está a sentir que cravo as minhas unhas no seu peito. Começo depois a direcionar as minhas mãos para irem ao encontro do meu clitóris. Estimulo-me mais um pouco e o corpo aquece novamente. Fervo! Entro em ebulição com a chegada de um clímax ainda mais arrebatador do que o anterior. Ele agarra-se às minhas ancas enquanto grita o meu nome e me pede para não parar.

Abrando nos movimentos que ainda reproduzo, mas ele não me dá tempo para o corpo recuperar do prazer sentido, agarra-me na cintura e roda sobre mim. Continua agora ele o trabalho.

Começamos com um tímido missionário para rapidamente passarmos para a posição chamada de 'A Vitória' onde ele desliza entre os meus joelhos e me ergue levantando o quadril de forma a penetrar-me. Nesta posição ao estar com o meu sexo mais exposto e de tão fácil acesso, ele começa a estimular o clitóris enquanto continua a penetração. A sua mão percorre o meu ventre até chegar aos meus seios. Sinto cada vez mais calor. Estou extasiada.

Antes de ejacular, novamente, agarra-me nas ancas e roda-me na cama até ficar de quatro. Sem esperas, enterra-se em mim. Estamos cada vez mais loucos... cada vez mais quentes. Ele agarra-me no cabelo com uma mão e com outra agarra-me no pescoço. Tenho um leão na cama e quero que ele me devore até ao meu último suspiro.

Foi uma noite perfeita de inverno. Um calor abrasador naquele quarto enquanto que na rua uma verdadeira tempestade se formava.
Foi, mesmo, uma noite daquelas!

Alexa

Alexa

Uma mulher com imaginação para dar e vender.
Sempre gostei de escrever, mas coisas eróticas... isso gosto mais. Levar um homem à loucura através de palavras e da sua própria imaginação. Como adoro...

blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis