PUB
mascote
PUB


08 dezembro, 2016 Completamente Devorada

Entrei na sala e observei cada pormenor da luxuosa decoração quente e aveludada que me fascinava.

Ele nunca me largou a mão, eu estava nervosa, afinal sou meio tímida e a surpresa era bastante ousada. Fiquei meio incomodada por me ver entre mulheres nuas, de corpos esculturais. Homens? Não vi nenhum...

Completamente Devorada

Apenas vi aquelas 2 lindas mulheres. Chamaram-me e ele acenou com a cabeça um sim confiante. Dirigindo me pela mão, levou-me até elas.

Despiram-me enquanto eu me vestia de timidez, ao mesmo tempo sentia as mãos delas que me tocavam e de tal suavidade me faziam enlouquecer. A loura agarrou-me numa mão, e a morena, após me dar um beijo no rosto e sorrir, agarrou me a outra mão, e com as duas segui até um local meio escuro, onde só duas ou três pequenas velas brilhavam.

Enquanto isto, perdi de vista o homem de olhos azuis e prenuncia estrangeira que me tinha já levado a jantar a um belíssimo restaurante, um delicioso polvo a lagareiro com umas deliciosas entradas de camarão qualquer coisa, que agora pouco importa o nome correto.

Certo é que eu já estava maravilhada, mas não esperava tamanha surpresa. Ali estava eu, sozinha com duas mulheres lindas sem saber absolutamente nada o que me iria acontecer, mas entregue ao mistério que se apoderava de mim.

Vendaram-me os olhos, levaram-se para uma espécie de mesa almofadada, talvez um banco, era aveludado, mas alto, inclinaram-me para a frente prendendo-me as mãos e a cabeça numa espécie de armadilha, imagino uma daquelas ferramentas de madeira, onde mãos e cabeça ficam presas para a decapitação. Mas ainda assim sentia-me confortável.

É assim presa, que sinto um vibrar intenso desde o pescoço as nádegas que depressa se adianta chegando a minha coninha fazendo-a vibrar e vibrar, ao mesmo tempo, sinto pénis baterem me no corpo, e sinto um chegar-se a minha boca de forma que o comece a chupar não me conseguindo mexer, nem lhe tocar.

Enquanto isto alguém degusta os meus líquidos vaginais, parece me uma língua feminina, e em ambas as mãos sinto um pénis, os mesmos que antes me batiam nas costas e no rabo. Sinto me estranha, não me conseguir mexer é completamente estranho.

Escorro já toda eu, língua, no meu apertado buraquinho do rabo, mãos que passam pelas minhas costas, um pénis ereto na minha boca, quando um deles se distancia da minha mão, e me vai penetrar o cuzinho já todo lubrificado, e enquanto isso o vibrador continua a massajar o meu clitóris e eu começo a ter vontade de me mexer mas não consigo.

Atinjo um orgasmo e sinto-me ofegante, embora com o pénis ainda na minha boca que não me deixa respirar tão profundamente como desejo. Até que de repente, param tudo...

Deixam me finalmente respirar fundo, soltam a minha cabeça e as minhas mãos puxando me de seguida para que me levante. Ainda de olhos vendados, sinto mãos por todo o meu corto, escorrendo entre os meus lábios vaginais, e bocas que lambem os meus mamilos e que me beija e beijam até que me falte o ar e deseje ardentemente algo mais.

Um homem puxa-me, e sinto que fico deitada sobre ele, não sei bem onde, mas fico sobre o seu pénis que facilmente entra na minha coninha saltitante e humedecida.

Alguém me agarra no rabo e afasta as nádegas, até que sinto um dedo no ânus, e na minha frente um pénis que me entra na boca e me bate na garganta... e quando menos espero, um outro pénis entra no meu intimo anal empurrando o outro que já estava na minha vagina. Sinto os dois entrar e sair alternadamente, enquanto degusto o outro na boca.

Mãos, lambidelas nos mamilos, penetrações lentas e profundas, roçar de clitóris, Beijos de língua alternados entre chupões penianos, é este o cenário que acaba comigo... Um orgasmo tão intenso que tudo treme, o meu corpo parece possuído querendo expulsar um qualquer demónio, completamente descontrolada, gemendo ofegante, saciando a fome com a própria carne.

Pouco depois o esperma que me banha o corpo, sinto-o quente escorrendo pelos seios, pelo abdómen, sinto-o na minha boca, e duas mulheres fazendo de mim prato...

Carla Felício

Carla Felício

Olá, sou a Carla Felício, não confundir com felácio! Felácio também é bom, mas não para aqui chamado agora. 

Sou massagista e bloguista. Não perguntem sobre o que escrevo, passem a ler.

Sou uma miuda tímida, mas adoro despir-me de vergonhas e pudores e transformar-me numa desavergonhada marota!

+351 916 158 030

  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis