PUB
mascote
PUB


02 abril, 2018 Twisted – Parte I

Encostando-me à parede, e com a maestria que apenas o meu loiraço sabe...

Como diz o provérbio: “Quem semeia ventos colhe tempestades”. Eu nem fazia ideia do que me esperava...

Twisted – Parte I

Estes últimos meses não têm corrido nada bem para mim e para o meu marido. Estamos juntos há 12 anos. As noites de maratonas sexuais já lá vão, porém tentamos sempre reavivar a chama quando achamos que nos estamos a deixar consumir pela azáfama do trabalho e pela nossa rotina. No entanto, agora sinto-me negligenciada por ele.

Dentro de dias iremos comemorar o nosso vigésimo aniversário, não de casamento mas de namoro, pois os anos anteriores não se esquecem, mas não. Não me apetece.

Já não vejo os seus olhos brilharem como antigamente a cada carícia, ou gesto de ternura que tenho para com ele. Sinto-o distante.

Não sei o que fazer. O plano é fazer algo apenas a dois. É a nossa data, mas onde ir? O que fazer? Será que está com a mesma motivação que eu?

Há uns anos atrás andei a tentar convencê-lo para fazermos sexo com outra mulher, pois com um homem ele dizia sempre: “Não gosto da ideia de te dividir com outro.”

Eu compreendia o seu ponto de vista. Não gostava da ideia de outro no cenário, mas eu tinha que aceitar outra mulher? Por acaso era coisa que também queria, mas o meu desejo era experienciar a sensação de ter dois pénis, grossos e duros, dentro de mim; e iria ter esse momento.

A minha cabeça já estava a fazer mil e um planos sobre as possíveis situações, mas seria melhor questionar aquela mente brilhante para saber se já tinha algo pensado, ao qual me responde:

“Não te preocupes com nada. Está tudo resolvido. Sexta-feira, apanho-te no trabalho e seguimos. Não tentes questionar-me como costumas fazer. É surpresa.”

Ainda abri a boca na tentativa de dizer algumas palavras, mas em vão. Ele tinha razão. Sou demasiado curiosa.

Nos dias seguintes até ao dia da mega surpresa, como eu apelido, nos momentos livres que tinha no trabalho pesquisava técnicas novas de engate entre as quais uma lingerie mais provocante. Por conta disso andei numa correria enorme. Afinal de contas, mulher que se preze vive atenta a todos os pormenores e além disso, ao fim de tantos anos juntos, tinha que inovar os meus dotes.

Chegou o dia que tanto esperava.

“Parabéns meu amor” – sussurrei-lhe suavemente ao ouvido, enquanto lhe dou um leve beijo na bochecha.

Deixei-o a dormitar na cama como era costume enquanto preparava o pequeno-almoço. "Mais um dia normal até agora " pensava enquanto revolvia os ovos na frigideira.

“Bom dia cara linda!” - disse-me o meu loiraço, com um sorriso rasgado enquanto me abraçava por trás e me depositava um beijo ternurento - “Vou tomar um banho rápido” - eu anui - “E tu vens comigo!”. De um movimento só agarrou-me e carregou-me nos ombros como se fosse uma saca de batatas.

Eu debatia-me a tentar soltar-me dele. “Olha que o fogão ficou aceso!” - gritava-lhe.

Coloca-me no chão, olha-me fixamente nos meus olhos e beija-me para me calar. Afasta um pouco a sua cara da minha e sussura-me: “Calma querida. Está tudo controlado.”

O meu loiraço sabe mesmo como acalmar a minha fera.

Aqueles braços tão robustos, tão fortes apertavam-me junto de si. Senti uma proeminente erecção fazendo pressão no meu sexo que ainda estava protegido pela minha cueca colegial que ele tanto gostava.

As suas mãos percorriam o meu corpo. Sentia que estava tão desejoso quanto eu. Há tanto tempo que não nos tocávamos assim. Parecíamos duas pessoas carentes à espera de um toque suave na pele, de sentir aquele arrepio miudinho que percorria o meu corpo todo.

Despiamo-nos sensualmente, um ao outro.

A água corria sobre nós, entre beijos quentes e sôfregos. A casa de banho estava coberta de vapor. Os nossos corpos estavam colados um ao outro e não se conseguiam separar.

Ele coloca o seu pénis entre as minhas pernas. Como este desliza! Coloca a sua mão no meu sexo e reparo no seu olhar extasiado com a humidade que me escorre entre as pernas. De um movimento só colocou-me ao seu colo, encostando-me à parede e com a maestria que apenas o meu loiraço sabe, colocou aquele pénis erecto, fervoso e tão urgente dentro de mim.

(suspiro) Como sentia falta dele dentro de mim!

Em cada penetração sentia o seu corpo a tremer, a querer-me mais. Que saudades.

Eis que de repente pára e notando de imediato o meu olhar intrigado diz-me: “Aguarda nova ordem. Agora veste-te e vamos trabalhar.”

Entendi que não tinha outra alternativa e depois de terminarmos o duche deu-me um beijo e foi-se embora deixando-me assim, sem saber o que esperar...

(continua...)

Alexa

Alexa

Uma mulher com imaginação para dar e vender.
Sempre gostei de escrever, mas coisas eróticas... isso gosto mais. Levar um homem à loucura através de palavras e da sua própria imaginação. Como adoro...

blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis