PUB
mascote
PUB


13 dezembro, 2015 Escorts em Entrevista: "Dominadora Yara Joli"

Estive recentemente à conversa com a dominadora Yara Joli. Uma conversa num ambiente descontraído e informal em que alternámos entre risos e olhares insinuantes.

Saber mais sobre esta esbelta loira de 29 anos, com umas pernas fantásticas que ainda hoje perduram em momentos na minha mente, era o meu objectivo e também desvendar um pouco sobre o misterioso mundo do BDSM. Pela voz de quem sabe, para quem quer saber.

Dominatrix Yara Joli   +351 968 537 664.

Escorts em Entrevista:

Noé: Olá Yara. Devo dizer que me sinto algo intimidado em ter este diálogo e ainda nem disseste nada. Como é que consegues ter esta presença tão forte?”

Yara: Tens uma certa piada, tu… mas deixa-me explicar: sou extremamente simples e acima de tudo sinto-me bem comigo mesma, com quem sou e isso deve transparecer logo num primeiro encontro. No teu caso concreto, estamos a ter uma conversa informal e descontraída não estando eu no meu papel dito “normal”. Acredita que, muitas vezes, são os próprios submissos que me analisam e acabam por ter um papel bastante importante na minha evolução enquanto dominadora e, em última análise, enquanto mulher. Sou uma pessoa de pessoas, sabes? Curiosa por natureza e sem medo de novos desafios. Gosto de pensar que gostam de mim assim, mesmo com os meus caprichos.

“Mas o que é te motiva, Yara? Porquê fazer da dominação uma arte?”

”É uma pergunta muito directa para quem está de fora e pode fazer uma ligeira confusão a resposta: o que me motiva directamente é saber que de alguma maneira eu vou completar algo em falta junto daqueles que me procuram. De que maneira? Simples! Pelo prazer de desenvolver as ditas práticas ou, se preferires, “brincadeiras”. Sentir que sou importante e que veneram a minha presença. É um desafio diário querer perceber mais sobre o meu mundo, porque me procuram e porque fazem parte dele, mas existem muitas vertentes em relação à chamada “arte de dominar”, como referes. Acima de tudo, tens de perceber que cada dominadora é diferente, cada uma tem o seu estilo, maneira de ser e de exercer a arte. Como disse anteriormente, o dominado tem um papel fundamental em tudo. Se eu notar a sua entrega sem reservas às minhas ordens, a minha postura será também de envolvimento no acto, no entanto, se vir que é mais um curioso interessado em apenas um rabo, perco logo a tesão. Não gosto de curiosos, gosto de homens determinados que sabem o que querem, fascinados comigo e pela submissão, de agradar e obedecer à sua dona e de satisfazer os meus caprichos. Alguns deles até sexuais…

 

Joly-Yara-4

"Não gosto de curiosos, gosto de homens determinados que sabem o que querem, fascinados comigo e pela submissão, de agradar e obedecer à sua dona e de satisfazer os meus caprichos" - Yara Joli

 

“Estou a perceber. Também já percebi quem é que manda nesta entrevista. Preferes castigar um bom menino mal comportado ou pôr um mau menino a portar-se bem?"

“Adoro as tuas rasteiras, até desperta uma tesãozinha. Bom, eu sou muito versátil, tenho essa necessidade quando não conheço quem me procura numa primeira vez. Faz sentido quebrar o gelo e ganhar confiança, da mesma maneira que me dou, eu gosto que se deem na mesma medida, ou seja, eu dou de mim a quem dá de si. Um bom menino mal comportado é, na esmagadora maioria, um bom escravo porque exige mais disciplina e eu tenho necessidade (e gosto) em lha dar. Talvez uns correctivos de o por de castigo virado contra a parede, de expor o seu rabiosque ao léu para gozo dos meus olhos e dar-lhe umas valentes reguadas, uns bons puxões de orelhas com as minhas mãozinhas delicadas, suaves e sexys. É importante prepará-lo para saber as regras na ponta da língua. Muitas vezes, o mesmo menino tem picos, pois passa rapidamente de mau a bom menino, e aí temos que ter a inteligencia de mudar de postura, pois vamos satisfazer os nosso caprichos. Entrar no mundo das brincadeiras e das fantasias, no mundo delicado que mexe com o ego masculino, ou seja, de nos servir a nós mulheres dominadoras, determinadas, atraentes, bonitas, inteligentes e de serem eles próprios, sem tabus. Aí sim, já há um sinal que o próprio comportamento dele mudou e está moldado. Aí, o próprio submisso já é digno de limpar a casa (a pia de preferencia) todo nú! Só gosto de homens nus na minha presença. De coleira inclusive. Alguns até têm direito a coleiras especiais com o seu nome. É assim a vida de um submisso obediente."

"Não consigo deixar de ficar cheio de curiosidade e medo ao mesmo tempo ao falar contigo. É este o efeito que tens no acto? É estranho eu estar algo excitado com o meu próprio receio do que se possa passar entre 4 paredes contigo?"

"Eu recomendo sempre uma meia hora descontraída na minha presença. Faz todo o sentido para eu perceber se vale ou não apena avançar. Tu, por exemplo, pareces-me bastante interessante! Há homens que olhamos e sentimos o click e há outros que não. Não te esqueças que somos mulheres sexualmente mais fortes, observadoras, exigentes e temos uma experiencia sexual diferente. Essa nossa sabedoria dá-nos alguma bagagem para separar águas. Adoro conhecer pessoas novas, adoro a inocência de quem me procura, adoro de alguma maneira saber que o meu trabalho, o meu mundo, irá contribuir directamente no desenvolvimento do seu “eu” interior. Gosto de quebrar estigmas, tabús, realizar fantasias, adoro sentir que aquele homem que está ali à minha frente confia em mim, sente-se bem comigo e isso dá-me muito prazer. Acabo por fazer naturalmente coisas novas, brincadeiras novas, aplicar castigos novos e sair para jantar. Adoro quando me oferecem presentes, mesmo que seja uma carta com certos pedidos especiais numa sessão, enfim... eu não necessito de andar com chibata na mão para ser dominadora, entendes? Por acaso tenho sempre uma, mas confesso que a colher de pau ultimamente tem me acompanhado mais. O ambiente faz-se e a postura desenvolve-se. E a minha atitude fala por si: “é isso meu menino, serve-me um chá… JÁ!! Não vais fazer-me esperar, pois não?”. Curioso agora o suficiente para te arriscares, Noé?"

"Talvez sim, talvez não. Quem sabe? Um dia não são dias, certo? Foi um prazer falar contigo, Yara."

"O prazer é sempre todo meu."

 

ydom

Nome: Yara Dominatrix
Idade: 29
Nacionalidade Portuguesa
Tom de pele: branca
Cor do cabelo: loiro
Cor dos olhos: castanhos mel
Cabelo: Pelos ombros.
Altura: 1.62
Peso: 57
Peito: 42

Podem visitar a Yara em http://ydominatrix.blogspot.pt/ e contactá-la pelo número

+ 351 968 537 664.

Atrevam-se!

Noé

Noé

Trintão miúdo de coração ao pé da boca. Perdido em fantasias concretizadas e concretizáveis apenas preso por amarras do anonimato. Relatos passados de opinião libertina é um santo pecador por excelência.

  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis