PUB
mascote
PUB


11 janeiro, 2016 David Bowie - o adeus ao camaleão insaciável

Orgias e amantes (homens e mulheres) famosos: muito sexo, drogas e rock'n'roll.

O mundo despede-se de David Bowie, que morreu aos 69 anos, vítima de cancro. Mas a sua música perdurará como marca da irreverência do artista original e camaleónico - também no sexo, onde amou total e livremente, com um apetite sexual insaciável...

David Bowie - o adeus ao camaleão insaciável

David Bowie marcou a vida de várias gerações de pessoas pelo seu incrível talento artístico como músico. Mas a sua fama como artista era equiparável à sua fama como amante com um apetite sexual insaciável.

Ao longo dos seus 69 anos de vida, o cantor norte-americano, que perece após uma batalha de 18 meses contra um cancro, teve um batalhão de amantes, tanto homens como mulheres.

Entre estes parceiros sexuais encontram-se nomes como os das actrizes Elizabeth Taylor e Susan Sarandon e da cantora Marianne Faithfull.

Conhecido é ainda o seu envolvimento sexual com Mick Jagger, o cantor dos Rolling Stones que também é bissexual.

David Bowie ainda terá tido como parceira de sexo Bianca Jagger, ex-mulher de Mick Jagger.

Também há rumores de que o cantor chegou a ter uma cama de dimensões monstruosas -  o seu "sex pit" - para realizar orgias. Era mais ou menos toda a gente ao molho e a foder.
 
A ex-mulher do cantor, Angie Bowie, também revelou que no dia do casamento com David participaram num ménage a três que os levou a chegarem atrasados à cerimónia.

"David [Bowie] era o maior em sexo a três tanto com homens como mulheres. Não deixava nada a desejar. E eu estava mesmo lá.

Na noite antes do nosso casamento foi uma amiga mútua. Saímos para jantar fora, fomos para casa dela e fizemos muito sexo bem animado."

O apetite sexual voraz de David Bowie só terá acalmado depois de este ter conhecido a mulher com quem passou as últimas duas décadas de vida, a ex-modelo Iman.

DavidBowie2

Angie Bowie, que tinha 19 anos quando conheceu o artista, supostamente depois de ambos terem dormido com o mesmo homem, falava dele como um "gato de esquina bissexual" e dizia que era "um garanhão com orgulho disso".

Na sua autobiografia, ela conta como apanhou David Bowie na cama com Mick Jagger, ambos nus e com uma ressaca daquelas.

Mas esse facto não terá causado distúrbios no casal que vivia num tempo de amor livre, onde quase tudo era permitido. E onde a cocaína ajudava a manter o espírito receptivo a todo o tipo de experimentações.

Angie Bowie costumava levar para casa mulheres de mente aberta dispostas a participarem nas loucuras sexuais dela com David Bowie.

Em 1972, o cantor chegou a assumir-se como gay, mas quatro anos depois admitiu ser bissexual.

Já nos anos de 1980, David Bowie se definiu como "um heterssexual de armário", seja lá isso o que for.

Certo é que o artista marcou não apenas o mundo da música, mas também ajudou a abrir mentalidades no capítulo da sexualidade, nomeadamente com a sua aparência andrógina, reflectindo esse seu lado pansexual de atracção por todos os sexos e a essência do transgénero muito antes de o tema ser assunto do dia.

Um homem à frente do seu tempo que até na morte foi único e original, marcando, dias antes do adeus à vida terrena, o seu aniversário com o lançamento do último álbum "Blackstar". Um presente de despedida para todos os seus fãs.

Gina Maria

Gina Maria

Moça católica e de boas famílias, apaixonada por secretas fantasias, eternamente interessada em mais, mais, mais...

blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis