PUB
mascote
PUB


17 fevereiro, 2016 Levei com os cornos? E agora?

Já que foste o último a saber, é boa altura para pensar no que se passou. Mesmo de cabeça pesada.

Corno. A palavra dói tanto de ouvir como levar com a mesma nas costelas por parte de um bovino em fúria. Vamos falar disto ou preferes fazer três buracos na areia e meter lá a cabeça?

Levei com os cornos? E agora?

O que é que se passou, campeão? A tua mulher foi fodida por outro gajo. O mundo não acabou mas vamos todos sentar aqui (cuidado com o candeeiro do tecto) e falar no assunto.

Problemas na cama? Problemas na relação? Tesão do momento? Não vale a pena pensar muito dado que o resultado é sempre o mesmo no fim: um caralho alheio trespassou a cona da tua mulher. E a boca. E quem sabe, até o cu. Acontece. Bom, não foi propriamente um caso de “olha escorreguei numa casca de banana e aterrei em cima de um caralho teso”.

ELAS TRAEM POR TESÃO TAL COMO NÓS!

Pronto, agora é que revolucionei o vosso mundo. Certo? É verdade, meus caros. A vossa namorada/esposa, também sente tremeliques na cona ao ver um gajo que lhe dá tusa mas, ao contrário de nós, não mete aquele ar de violador que todos ganhamos quando vemos uma arrebita-nabos de primeira categoria.

1º passo na recuperação

O mundo não acabou. Bem vindo ao Clube do Corno. Se és manso ou não, depende de ti. Nenhum casal recupera bem de uma situação dessas por muito que se queiram enganar a eles mesmos. Se vale a pena ficar com ela? Só tu sabes, meu amigo. Mas se é para ficares com a ideia de que o resultado está 1-0 e que te deves recompensar fodendo a tua cunhada, então esquece. Um mal não anula outro. Sentem-se para pensar no que é que levou à situação caso seja preciso ou então manda-a com o caralho e dedica-te a espatifcar cricas de Norte a Sul do país durante um mês de verão.

2º passo na recuperação

A culpa. É de quem? Dela é sempre, porque ir foder com outra pessoa quando numa relação, não tem desculpa. Se a menina queria andar de carrosselaralho, então terminava a coisa e lá ia à vida dela. É tua? Poderás ter quota parte de responsabilidade moral, mas tal como é dito, a culpa é sempre de quem cometeu o acto por muitas razões ou não-razões que se queira apontar.

3º passo na recuperação

Nem todos que traem uma vez o voltam a fazer. Isto há quem discorde. Eu discordo desta discórdia. Se aconteceu, não há nada a fazer agora. O que podemos mudar é o que vamos fazer daqui em diante e daqui para a frente quando confrontados com a mesma situação. Se acreditas mesmo na tua relação, então mantém a pila dentro das calças e vai tocar uma ao WC. PUNHETAS SALVAM RELAÇÕES (e também dedinhos, minhas amigas!). Fantasia com quem quiseres as vezes que quiseres, porque o desejo pelo proibido é normal e saudável. Foda-se, quantas vezes já não “fodi” eu namoradas de amigos meus na mente (depois fodi-as mais tarde mas isso é outra história…).

Ser corno é fodido (não tanto como ela foi). Custa ao inicio. Sentimo-nos diminuidos enquanto homens por uns tempos e, mais concretamente, até rebentarmos a cona a uma miúda de 20 anos.

Cornos deste mundo, escutai-me: O MUNDO NÃO ACABOU.

Agora mete lá a cabeça de fora da janela que eu tenho de meter roupa a secar nesses cornos.

Até domingo e boas fodas com as mulheres dos outros.

Noé

Noé

Noé

Trintão miúdo de coração ao pé da boca. Perdido em fantasias concretizadas e concretizáveis apenas preso por amarras do anonimato. Relatos passados de opinião libertina é um santo pecador por excelência.

  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis