PUB
mascote
PUB


09 março, 2018 O encontro inesperado

Os olhares começaram a ficar mais intensos, os sorrisos mais chamativos...

Todos nós saímos à noite. Todos temos um motivo para sair. Eu, como qualquer homem sem excepção, fui divertir-me com os meus amigos, mas não esperava encontrar aquela morena no meu caminho...

O encontro inesperado

Meia noite, fui arrastado pelos amigos até ao famoso bairro sem rota numa zona privilegiada de Lisboa, cheio de sorrisos femininos, vestidos decotados e olhares marotos ...

Como naquele bairro fazemos a rota dos bares, começamos com o primeiro que encontramos "Dom Juan", que belo nome, numa das esquinas mais movimentadas do bairro.
Imperial, e começo a olhar para as redondezas... lá estava ela... Sentada de frente para mim, com as suas amigas, eu olhei, ela olhou, veio uns sorrisos a penetrarem-se com uns olhares e cada vez ficou mais intenso...

Fui-me aproximando do balcão e cada vez mais perto da moça, alta, morena, bom decote, mamas que saltavam à vista, rabo não vi mas parecia dar para encher a mão toda, olhos castanhos quase pretos e uns lábios vermelhos... Esta deve ser do benfica! (ah ah ah)

Os olhares começaram a ficar mais intensos os sorrisos mais chamativos e começou os sinais de trânsito... Eu, sou um tipo que não sou de se deitar fora, fui por trás delas todas e atrás dela sussurro-lhe entre aqueles cabelos com cheiro a lavanda e digo-lhe:

"Linda és, bonita de quatro serás, nas tuas ancas me perderei e nas tuas mamas eu me virei."

Eu acho que quando um gajo está bêbado e empolgado torna-se o Shakespeare.

"Queres comer o meu pau lá fora?"

Nisto, ela levanta-se de repente, eu achei que me ia bater... vestiu o casaco, pegou na mala e foi em direção à porta, despediu-se muito rápido das amigas, virou-se antes de sair pela porta e piscou-me o olho...

Lá fui eu, meio tremido em direção ao céu...
Chego à rua, no beco das traseiras do bar oiço um "Pssst".
Lá estava ela...
Aproximei-me, começou a devorar-me os lábios, que beijos tão intensos e molhados, ao mesmo tempo começou a pôr a mão por dentro das minhas calças, eu já estava duro que nem pedra desde os primeiros olhares, massajou o meu pau, ohhh... que coisinha mais doce...

Eu de pé, ela de cócoras,com o vestido levantado e a masturbar-se, a pingar de tesão, abre as minhas calças, tira tudo para fora, começa a passar a língua na cabeça, umas chupadelas de leve, depois com mais intensidade, de cima a baixo, com mão a fazer umas belas massagens nas bolas e aquele olhar... a fixar o meu... lá vem a mão... os tais movimentos circulares de cima abaixo ao mesmo tempo que o chupa todo, mete mais cuspe, que boca! mesmo bom o broche...

Agarrei-lhe no cabelo e fodi-lhe a boca toda, garganta funda....
Levantei-a, levantei a perna dela apoiei sobre o caixote que lá estava ao lado... de rabinho empinado para mim, subi-lhe o vestido, enfiei devagarinho para sentir aquela cona molhada, toda a abrir a sentir as paredes quentes e apertadinhas...

Agarro-lhe na mama que tinha de fora do vestido e de quatro bem empinada fodi-a toda, ela gemia gemia, toda loca, e eu a adorar aquela cona...

"Enfia-me no rabo seu cabrão!"

Tive de lhe concretizar o desejo... bem de vagarinho, com a humidade daquela cona comecei a enfiar... entrou a cabeça... ela a gemer de dor, de prazer, de dor e mais prazer...e os dedos dela a tocarem no clitóris, ele foi entrando, agarrei-me às ancas dela, palmadas naquele rabo gostoso, mãos nos ombros, ela continuou a masturbar-se e veio-se toda fazendo squirt na calçada... e eu dei-lhe umas trancada mais fortes até me vir naquele rabo tão bom....
Tira-o, começa a chupá-lo, que doida!
Adorou o meu leite....

Peguei-a ao colo e comecei a beijá-la...

"Gostaste?"
"Gostei... fica com o meu número depois quero comer-te na tua casa!"

Bolas! Eu vivo com os meus pais...

blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis