PUB
mascote
PUB


08 agosto, 2018 Aperta-me o pescoço… mas com calma!

O prazer da asfixia a pedido.

Hipoxifilia (também conhecida como auto-asfixação erótica) consiste em obter prazer sexual através da diminuição da entrada de ar para o cérebro a fim de maximizar o prazer, ou seja, um gajo esganar-se a si próprio enquanto bate uma para se vir que nem um leão. Não é de admirar que um gajo queira fazer isto na companhia de alguém, porque até para ficar sem ar é sempre melhor a mão de outra pessoa.

Aperta-me o pescoço… mas com calma!

Pessoalmente, gosto mais de apertar o pescoço do que apertar e por essa razão sou suspeito para falar. Mas este singelo acto “inocente” (e não é nada de mais) tem uma particularidade muito interessante. Este é daqueles poucos actos que qualquer homem que seja fã – na parte de esganar – jamais o pode fazer sem avisar. Estão a ver onde quero chegar? Imaginem que estão a meio da foda, a gaja está a contorcer-se toda e pensam “se lhe apertar o pescoço agora, ia ficar com uma tesão brutal…”. Até pode ser que ela gosta dessa merda, mas como é que vamos saber? Como é que saímos deste imbróglio e possível queixa de tentativa de homicídio na esquadra mais próxima se não temos absoluta certeza que lhe vamos enfiar as nossas mãos no pescoço e não vamos ouvir “SOCORRO, ELE QUER MATAR-ME!”. Nós e os vizinhos. E explicar isto tudo às autoridades?

- Matá-la? Não, nada disso. Isto é uma cena que gosto de fazer às mulheres quando as fodo, senhor agente!

- O senhor já fez isto com outras mulheres? Então vamos falar na esquadra!

Percebem o problema em que podem estar metidos se não têm absoluta certeza que ela gosta dessa merda? E isto é daquelas merdas que uma mulher não consegue fingir. Um orgasmo elas são experts em fingir, sufocamentos é outro nível. Nem a melhor actriz de orgasmo consegue transmitir prazer no olhar quando tem duas mãos peludas no pescoço. Solução? Não há. É esperar para ouvir aquelas palavras mágicas de “aperta-me o pescoço, cabrão de merda!” e dar saltinhos de alegria por termos o nabo enfiado em cona desta natureza.

Se uma gaja me quiser apertar a mim o pescoço, acaba invariavelmente por levar no cu com violência.

Amor com amor se paga.

Até domingo e boas fodas.

Noé

Noé

Noé

Trintão miúdo de coração ao pé da boca. Perdido em fantasias concretizadas e concretizáveis apenas preso por amarras do anonimato. Relatos passados de opinião libertina é um santo pecador por excelência.

  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
blog comments powered by Disqus

Inserir Anúncio Gratis